Dalva Agne Lynch (Sarah)

Site oficial

Textos


(English version after the one in Portuguese)


À mulher iraniana foi proibido o canto




À mulher iraniana
foi proibido o canto.
Não lhe proibiram o grito
o lamento
o gemido.
São seus direitos
- seus únicos direitos.
Mas foi-lhe proibido
o acalanto
a cantiga de roda
e todos os cantos de amor
porque o amor da mulher iraniana
também foi proibido.

Agora
querem proibir também os pássaros
de anunciar a manhã.
Afinal
seu canto pode despertar asas
- as asas negras
silentes
da mulher iraniana.
E, apesar de muda
ela poderia aprender
a voar.




English version:


 
The Iranian woman was forbbiden to sing





The Iranian woman
was forbidden to sing.
She wasn´t forbidden to cry out
to moan
to groan.
These are her rights
- her only rights.
But she was forbidden
the lullaby
the nursery rhymes
and every song of love
for the Iranian woman's love
was also forbidden.

Now
they want to forbid even the birds
of announcing the dawn.
After all
their songs could awaken wings
-- the dark
silent wings
of the Iranian woman.
And in spite of her silence
she could learn
how to fly.



fig: foto de uma querida amiga, gentilmente cedida para o poema
 
Dalva Agne Lynch
Enviado por Dalva Agne Lynch em 14/09/2007
Alterado em 26/06/2016
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA