Dalva Agne Lynch (Sarah)

Site oficial

Textos


Lobos Interiores



Sento-me frente à janela ouvindo o vento
Que uiva lá fora como espírito em tormento
(meu lobo interior)
Porque não entendo as forças
Tanto do vento
Quanto do tormento.
Sento-me frente à janela e percebo a tempestade
Que ruge ao teu redor em potestade
(teu lobo interior)
Porque não entendes as forças
Tanto do que me restringe
Quanto do que te cinge.
Fala então, voz do vento - eu calo.
Escuta então a tempestade - eu falo.
E que desta trégua fugaz
Surja enfim, mesmo que efêmera
A nossa paz.





 
Dalva Agne Lynch
Enviado por Dalva Agne Lynch em 04/03/2017
Alterado em 08/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA