Dalva Agne Lynch (Sarah)

Site oficial

Textos


Rebeldia I
(do livro "Às Portas da Noite", Ed. Blocos, 2001, prêmio de literatura)

© Sarah D.A. Lynch



Não quero oráculos.
Não quero ver o que está à frente
Nem o que está atrás.
Não quero saber o que jaz
Do outro lado do espelho.
Não quero saber, ponto final.
Não quero ser racional.
Não quero análises sofismáticas
Nem razões psicológicas
Nem normas teológicas.
Quero apenas banhar-me
No momento de agora.
Ele tem sabor de algo esquecido
Algo que deixei na infância
Quando o espelho ainda me contava
Contos de cavaleiros, castelos e damas.
E eu acreditava.
Quero permanecer no momento
No intermezzo, no olho do furacão
No entre aspas.
Ah, pergunto-me, e por que razão
Não se pode cruzar os portais do Infinito
Passado o momento?
Errado estava o Bardo: o importante
Não é o não sabermos que sonhos
Nos trará o sono da morte.
O importante é que o sono da morte
não vem ao terminar o sonho.
E que o sonho termine antes
Muito antes
Que a morte, em misericórdia
Nos separe.

 
Dalva Agne Lynch
Enviado por Dalva Agne Lynch em 18/08/2016
Alterado em 18/08/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA