Dalva Agne Lynch (Sarah)

Site oficial

Textos


Considerações sobre o Amor


₢Sarah D.A. Lynch



Depois de tantos anos, tantas paixonites passageiras, acho que posso entender o que é o amor entre duas pessoas.

1. Como disse Tagore, "Eu te amo não pelo que tu és, mas pelo que sou quando estou contigo". Pois eu vou mais adiante: você sabe quando ama realmente, quando não importa a quantidade de erros que a outra pessoa tenha feito, ela fez de você um ser melhor. E por que digo isto? Porque o amor é construtivo. Tudo o que acontece sob o amor faz de você alguém melhor. E não o amor de alguém por você, mas o SEU amor por ele/ela. O que vale é o que você sente, o que nos leva ao número dois.

 
2. O amor que constrói é o que VOCÊ sente, não o que alguém sente por você. Se há reciprocidade, então é paraíso.

3. Não existe amor sem duas coisas: respeito e admiração. Se você diz que ama alguém mas não o/a respeita e o/a admira, então você tem paixonite aguda, atração sexual, fixação, qualquer coisa, menos amor. O amor eleva, e é quando duas pessoas respeitam e admiram uma à outra que um relacionamento deixa de ser o famoso "que não seja eterno, posto que é chama" de Vinicius de Moraes, e se torna "infinito enquanto dure" - e, nessas condições, pode durar muito, muito tempo. Só precisa aceitação. O que nos leva ao número quatro:

4. Amor é aceitar as faltas e falhas do outro. Não vou dizer "sem reclamar", porque todo mundo é humano. Aceitar aqui significa não perder o respeito e a admiração que a/o levou a amar, só por causa de circunstâncias e condições. Ou devido às falhas e faltas do outro. Ninguém é perfeito, aprenda.

5. Amor não é sujeição abjeta à vontade do outro. Isso é psicopatia, co-dependência. O verdadeiro amor briga por seus direitos, grita e se irrita - sem esmorecer. Amar não é ter opiniões iguais ou querer sempre fazer as mesmas coisas ao mesmo tempo, então é irreal sonhar com uma paz eterna. Isso é ou paz plástica, ou subserviência - que os famosos "moderados" possuem. Se você tem duas pessoas de personalidades fortes que se amam, pode contar que vai haver muito quebra-quebra e troca de palavrões. Porque amor não é paz plástica, nem tampouco comprazer-se com tudo.

6. Por mais que se queira um mundo perfeito, ele não existe. Sexo existe para além do amor. Sentir-se atraída/atraído por outra pessoa que não a quem se ama é real, existe, e TODO mundo já sentiu. Então pare de buscar fidelidade total no seu/sua parceiro/a. O correto seria não se deixar levar por paixões, a fim de respeitar a/o companheira/o, mas se seu/sua parceiro/a se deixou levar, mas não deixou de amar você, por mais ciúmes que você sinta, perdoe. A próxima vez pode ser a sua. E quase certamente será, só para lhe ensinar uma lição.
(17/agosto/2016)
Dalva Agne Lynch
Enviado por Dalva Agne Lynch em 17/08/2016
Alterado em 05/09/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA