Dalva Agne Lynch (Sarah)

Site oficial

Textos



ENGLISH VERSION AFTER THE ONE IN PORTUGUESE


Nota


Escrevi o poema abaixo em 11 setembro de 2006, quando acenderam-se poderosos feixes de luz no local onde antes estavam as duas Torres do World Trade Center, em Nova York, destruídas no dia 11 de setembro de 2001 por ataques terroristas.

Esse Tributo em Luzes foi uma instalação de arte de 88 feixes de luz, criando duas colunas verticais. Eles ficaram acesos de 11 de março a 14 de abril de 2002, e, a partir de então, em todos os subsequentes aniversários do ataque. Este ano de 2011, que marca o décimo aniversário, será o último.

Talvez meu poema aparentemente não signifique nada para você. Contudo, tenha em mente que o mundo nunca mais foi o mesmo desde aquele dia fatal. E para nós, cujas vidas foram destroçadas junto às Torres, a lembrança é, e sempre será, aterradora. E ainda que meus filhos tenham retornado da guerra, bem como os filhos de tantas outras mães, e as Torres estejam em processo de reconstrução, as cicatrizes da tragédia ainda estão vivas - para sempre uma memória do que a ignorância, o fanatismo e a ganância podem causar em nosso mundo.



BRING ME TO LIFE
(Devolva-me à vida)
 
© Dalva Agne Lynch
 
 
Também eu me vi atrás de portas fechadas
e descobri que me havia perdido em buscas
também eu quis que me tirassem do nada
naquilo em que me transformei
com tanto que me tornei
e gritei, acorde-me de mim mesma
antes que me desfaça
antes que o que pensei ser verdade
se me caia ao peso de ausências
e nada mais perca porque nada mais há!
Porque não se guardam coisas assim
coisas que não são coisas...
"Acorde-me por dentro!
Chame por meu nome e salve-me de mim mesma!"*
Minha realidade caiu
em fumaça e concreto e chamas e metal
duas Torres antes de poder e glória
agora entulho e feixes de luz
e vi meus filhos voarem
- você também viu? -
grandes pássaros negros silenciosos
e as bombas! Você viu as bombas?
Estraçalhando corpos
os corpos de meus filhos
chagas abertas nas costas de meus filhos!
Você viu? Não, claro que não.
Se visse estaria também desfeito
estaria também buscando pelo que perdeu
em meio ao fogo e às cinzas
no concreto despedaçado, no metal contorcido
ao som de bombas, sempre as bombas!
Mas... se você viu, se você sentiu
se você ouviu o rugido das pedras caindo
prenúncio de todas as bombas
se esses feixes de luz lhes são de qualquer sentido
Chame por meu nome e me acorde
salve-me antes que me desfaça
Salve-me do nada em que me tornei!"*

ENGLISH VERSION:

I´ve written this poem on September 11, 2006, when powerful beams of light were lit where the World Trade´s Two Towers once stood, before they were destroyed on September 11, 2001, by terrorist´s attacks
 
This Tribute of Lights was an Art installation of 88 beams of light creating two vertical columns. They were lit on March 11, 2002 and from then on, on every anniversary of the attacks. On its tenth year, 2011, they were lit for the last time, and the reconstruction of the site began.

Perhaps my poem would be apparently without meaning to you. However, have in mind that the World was never again the same since that fatal day. And for us whose lives were wrecked together with the Towers, the memory of it is and forever will be terrifying. And even if my children came back from the War, as well as so many other children of so many other mothers, and the process of reconstruction of the Towers´ site is on its way, the scars from that tragedy are alive, a forever reminder of what ignorance, fanaticism and greed can do to our World.
 
 
BRING ME TO LIFE
 
 (at the sound of Evanescence´s "Bring me to life")
 
 
 
I also saw myself through open doors
And I also found I've lost myself
In a search that brought me further from myself.
I also wanted to be taken out of this nothing
Which I've become, with so much I've become...
Yes, wake me up from myself, from the nothing I am
Before I become undone
Before what I thought as true falls over me
Over a life I threw away
A life I spent searching for something
That brought me to an even bigger loss
After I've found it!
Every further wound was even more painful
Because it's hard to lose something you've found
And was impossible to keep!
We can't keep things like that, things that aren't things...
"Wake me up inside! Call my name
And save me from myself!"
My reality fell with those two Towers
In flames and concrete and metal
And I saw my babies flying in great black birds
And I saw the bombs exploding, shattering bodies
The young bodies of our sons…
And... Have you seen it also? No, of course not.
If you would have seen it, you'd also be undone
Would also be searching for something lost
For the innocence lost in the fire and the ashes
In the broken concrete, in the contorted metal
And in the bombs, always the bombs!
And in big black birds which carry babies away...
But... If you saw it, if you felt it... PLEASE!
"SAVE ME FROM THE NOTHING I'VE BECOME!!!"
 




(2005)

*trechos da música "Bring Me To Life", da banda Evanescence

 
Créditos da Ilustração (11 de Maio, 2010)
Tubes:dalva-at-21, by dalvalynch; lágrima
Jpeg: NYC no Memorial do WTC
Plugin: Xenofex 2


 
Dalva Agne Lynch
Enviado por Dalva Agne Lynch em 12/05/2010
Alterado em 10/05/2019
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA