Sarah D A Lynch

Site oficial da escritora Dalva Agne Lynch

Textos


Ilustração de Robert ParkerHarrison


English version after the original in Portuguese





O que está acontecendo com as Artes?
 
 
 
 
Tenho uma dúvida. Uma dúvida que respondi, mas... tenho dúvidas sobre a resposta.
 
Estava assistindo a “Bring it”, um filme sobre um grupo de dança nos EUA, escolhendo novas dançarinas.
 
Veja bem: eu amo a dança. Dancei até os 35 anos. Agora - aquilo que eu estava assistindo não era Arte. Era pornografia. Aí eu pensei, será que minha mente está finalmente picking up speed e atingindo a minha idade? Será que isso aí não é uma evolução da dança, e eu fiquei lá atrás com Ana Pavlova, Nijinsky, Isadora Duncan e Michael Jackson? Incapaz de apreciar essa nova versão?
 
Então fiz uma comparação com a poesia. Já publiquei dois ensaios sobre este assunto, então não vou me repetir. Só basta dizer que, assim como a poesia pós-moderna deixou de ser uma Arte para se tornar pura manifestação desordenada, a dança também deixou seu nicho de Arte, para se tornar sexo explícito.
 
Não, acho que minha mente não está envelhecendo. Apenas rejeita o desaparecimento total das Artes, para dar lugar ao que é ordinário, lugar-comum, sem classe.
 
Assim como a verdadeira poesia é sutileza, também a verdadeira dança é sensual, sem jamais descer ao pornográfico.
 
O strip-tease é uma Arte. A dança do ventre é uma Arte. Mas aqueles movimentos vulgares? Recuso-me a considerá-los como Arte.
 
O problema é que a sociedade resolveu brincar de ser livre. O que me faz lembrar a máxima de Aleister Crowley: “Faze o que tu queres, pois este é o todo da Lei.” E não, essa frase não é da música “Sociedade Alternativa”, de Raul Seixas. O Maluco Beleza apenas musicou o “Liber al vel legis”, o texto mais importante da Lei de Thélema.
 
Voltando ao assunto, é preciso lembrar que a liberdade total de regras, seja em que campo for – Artes, relacionamentos, Finanças, Política – sempre foi o prelúdio de queda de uma Era.
 
Agora não há mais regras sociais, e as regras políticas, que haviam ido da Autocracia para a Democracia, estão voltando e abraçando outra vez a Autocracia. Sobre a Economia nem preciso falar.
 
E as Artes? Não há mais regras para a escrita. Não há mais regras para a fala. Não há regras de pintura tampouco. As Artes que se salvam são aquelas baseadas na matemática, como a arquitetura e a escultura. Sim, a escultura! Ela precisa seguir regras matemáticas para ficar em pé.
 
Então agora vou dar um suspiro de alívio. Minha mente não está, afinal, envelhecendo. É esta era que está chegando ao fim.
 
Qual sua opinião?
 
 
 
English version:
 

 
 

What´s happening with the Arts?
 
 
 
 
I have a doubt. A doubt I´ve already answered but I have doubts about my answers.
 
I was watching “Bring It”, a movie about an American dance group choosing new dancers.
 
See, I love dance. I danced until I was 35 years old. Now, what I was watching wasn´t Art. It was pornography. Then I thought, would be that my mind is finally catching up speed and coming to be my age? What if that stuff I saw is an evolution in dancing and I was left behind with Ana Pavlova, Nijinsky, Isadora Duncan and Michael Jackson? Unable to appreciate this new version?
 
So I compared it with poetry. I´ve already published two essays about the subject so I´ll not repeat myself. It´s enough to say that just like Post-Modern Poetry stopped being Art to become just a disordered manifestation, dance also abandoned its place in Art to become explicit sex.
 
I don´t think my mind is growing old after all. It´s just that it rejects the total disappearance of Art to accommodate everything that´s ordinary, commonplace, classless.
 
Just as poetry is subtlety, true dance is sensuality without falling into pornography.
 
Strip-tease is an Art. Belly dancing is an Art. But those vulgar movements? I refuse to consider them as Art.
 
The problem is that Society decided to play-act freedom. And this brings me to mind Aleister Crowley´s maxim: “Do what thou wilt is the whole of the Law”. And no, this sentence isn´t from Raul Seixas´ “Alternative Society”. He just put the “Liber al vel Legis”, the most important text in the Law of Thelema, into music.
 
Back to the subject, we should remember that total freedom of rules, in any field – Arts, Relationships, Finances, Politics – was always a prelude to the fall of an Era.
 
There´s no social rules anymore, and the politic rules which went from Autocracy to Democracy are once again returning and embracing Autocracy. And let´s not even begin with Economics.
 
How about the Arts? There´s no more writing rules, neither there are speaking rules. There are no rules in painting also. All the forms of Art who survived are the ones founded in Mathematics, like Architecture and Sculpting. Yes, Sculpting! A sculpture needs Mathematics to stand upright.
 
So now I guess I´ll take a big breath – my mind isn´t growing old after all. It´s this Era who´s about to end.

What have you to say?

 
Sarah D A Lynch
Enviado por Sarah D A Lynch em 14/12/2016
Alterado em 22/07/2017

Música: Nothing Else Matters - Apocalyptica

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA