Sarah D A Lynch

Site oficial da escritora Dalva Agne Lynch

Textos


English version after the one in Portuguese.
 
 
 

Postura
 
 
 
 
Hoje descobri que me encolhera. Que despedidas, acidentes e desafetos fizeram-me baixar os ombros, inclinar o pescoço, encurvar a coluna – em uma postura que gritava, “cansei”. “Desisto”. E de repente me zanguei comigo mesma.
 
Aquela era a postura da derrota. Da submissão a circunstâncias e condições.
 
E perguntei a mim mesma, "É isso o que você quer? Se não é, levante os ombros, endireite a coluna, lance a cabeça para trás e diga para si mesma: Não vou me dobrar!”
 
Outra coisa que me veio, ao ver minha expressão amarga e, por uma vez, aparentando minha idade, foi, “E comece a sorrir. Não a rir e a “curtir”, mas a exercitar aquele sorriso que vem da felicidade e não da diversão.”
 
Diversão depende de alguém mais, de algo mais – quer dizer, de circunstâncias e condições. Felicidade depende apenas de você, de sua escolha racional de não deixar que qualquer pessoa ou quaisquer circunstâncias influenciem sua postura e sua visão do mundo.
 
Portanto, a solução é respirar fundo, e se perceber como uma criação de beleza. Você é parte do Universo, dos céus, das águas e do perfume da terra. E é disto, da conexão que temos com o resto da Criação, que podemos tirar forças para levantar a cabeça e endireitar os ombros com um sorriso nos lábios.
 
Talvez essa postura não mude as circunstâncias e condições, mas ela mudará a maneira como você as vê. A partir daí, você pode ter forças “para mudar o que pode ser mudado, e aceitar o que não pode ser mudado”.
 
Talvez você pense que uma simples mudança de sua postura física não poderá produzir tamanhas mudanças, mas posso lhe garantir que sim, podem.
 
Afinal, tudo é passageiro. E, quando as circunstâncias e condições se tiverem transformado, elas não deixarão atrás de si uma figura de derrota. Elas deixarão atrás de si uma pessoa que não se curvou a elas.
 
E tudo começa apenas endireitando sua coluna, levantando sua cabeça e se recusando a ser derrotada.

 
 
 
English version:
 
 
 

Posture
 
 
 
Today I realized I´ve shrunk. Goodbyes, accidents and disaffections had made me round my shoulders, bow my head, bend my spine – in a posture which cried, “I´m tired”. “I give up”. And I was suddenly angry with myself.

 
That posture was the posture of defeat. Of submission to circumstances and conditions.
 
So I asked myself, “Is that what you want? If it isn´t, throw back your shoulders, straighten your spine, lift up your head and tell yourself, “I will not bend myself!”
 
As I saw my bitter expression which for once revealed my age, another thing came to me. “And now begin to smile. Not to laugh or have fun, but exercising that smile which comes from happiness and not from having fun.

 
Having fun depends on someone else, on something else – that is, it depends on circumstances and conditions. Happiness depends solely on you, on your rational choice of not allowing anyone or any circumstances to influence your posture and the way you perceive the world.
 
Therefore, the solution is to take a deep breath and see yourself as a creature of beauty. You´re a part of the Universe, the skies, the waters and the earth´s scents. And it´s from this, from the connection we have with the rest of Creation, that we can gather strength to lift up our heads and straighten our shoulders with a smile on your lips.
 
Maybe that posture won´t change the circumstances and conditions, but it´ll change the way you perceive them. From then on, you can gather strength so as to “change what can be change and accept what can´t be changed”.
 
Maybe you´d think a mere change on your physical posture won´t be enough to cause such changes but I can assure you it will.
 
Everything is transitory. And when circumstances and conditions have changed, they will not be leaving behind them a picture of defeat. They will leave behind them a person who did not bend herself to them.
 
And everything begins by just straightening your spine, lifting up your head and refusing to be defeated.

 
 
Sarah D A Lynch
Enviado por Sarah D A Lynch em 13/12/2016
Alterado em 13/12/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Endereço da autora na REBRA